Cientistas testam resistência de tardígrado a impactos espaciais

Must Read

29 Genuinely Easy Meals That’ll Lower Your Cooking-Induced Stress Levels This Holiday Season

These easy dishes will make feeding the entire fam a breeze (so you can save your energy for...

Quiz – Estas afirmações sobre Ben Warren de Grey’s Anatomy são verdadeiras?

Ben Warren é, de longe, um dos personagens com maior evolução dentro de Grey’s Anatomy. Ele chegou para...

Quiz – Duvidamos que você saiba o nome dos atores de Crepúsculo!

Crepúsculo é um sucesso mundial que abriu caminho para outras produções vampirescas. A história de Bella e Edward...

Para quem não sabe, a primeira informação importante é a de que o tardígrado é as criaturas mais resistentes do planeta. Medindo menos de um milímetro de comprimento, esses seres vivos conseguem sobreviver a fogo, gelo, altas pressões e até o vácuo do espaço. Agora, cientistas colocaram os minúsculos bichinhos a mais uma prova: disparo de uma arma em alta velocidade.

A astroquímica Alejandra Traspas e o astrofísico Mark Burchell, ambos da Universidade de Kent, no Reino Unido, fizeram o experimento para descobrir se organismos semelhantes aos tardígrados poderiam sobreviver a certas condições no espaço, para saber onde e como podemos encontrar vida extraterrestre no Sistema Solar, além de como evitar contaminá-la. Os invertebrados microscópicos mantiveram a fama e resistiram. Pelo menos, parcialmente.

publicidade

Leia mais:

Conhecidos como “ursos d’água”, eles são onipresentes na Terra, encontrados em ecossistemas terrestres e aquáticos. Os bichos sobrevivem a condições absurdas, capazes de secar, reconfigurar os corpos e entrar em animação suspensa. A estratégia é relativamente simples. Eles retraem as oito patas e a cabeça e se deixam desidratar. Por anos!

Essa capacidade levantou o questionamento sobre quão violento impacto a criatura ainda é capaz de sobreviver. A resposta pode dar a probabilidade de os tardígrados sobreviverem em lugares como a nossa Lua ou Fobos, a lua de Marte, que poderia ter sido impactada por material ejetado dos dois planetas, potencialmente carregando vida. Ou até mesmo nas águas geladas de Europa e Encélado, luas de Júpiter e Saturno, respectivamente.

Com isso tudo em mente, a dupla usou uma arma de gás leve de dois estágios, para acelerar projéteis. Pólvora e um gás leve, como hidrogênio ou hélio, sob pressurização rápida são usados para chegar a até 8 quilômetros por segundo.

Tardígrados usados no experimento
Tardígrados usados no experimento. Imagem: Reprodução

Os pesquisadores usaram de duas a três cobaias de uma espécie de tardígrado de água doce, congelados para induzir o estado de hibernação. Os bichos carregaram projéteis, disparados contra alvos de areia em uma câmara de vácuo, em uma faixa de velocidades de 0,556 a 1 quilômetros por segundo.

Para isolar os tardígrados, o alvo foi despejado em água. Depois de separar o microscópico ser, os cientistas observaram quanto tempo eles levariam para voltar do estado de hibernação. Como controle, eles deixaram 20 tardígrados congelados e não disparados.

Os bichos de controle se recuperaram após cerca de 8 ou 9 horas. Já aqueles que sofreram o impacto e sobreviveram a velocidade de 825 metros por segundo, mas demoraram a se recuperar, o que sugere dano interno. Os bichos na velocidade mais alta, 901 metros por segundo, ficaram congestionados.

“Nos tiros de até e incluindo 0,825 quilômetros por segundo, tardígrados intactos foram recuperados após o tiro, mas nos tiros de alta velocidade apenas fragmentos de tardígrados foram recuperados”, escreveram os pesquisadores no artigo, publicado na revista científica Astrobiology.

Os resultados mostram que o limite de velocidade de impacto para a sobrevivência dos tardígrados está entre os dois números. Eles equivalem a uma pressão de choque de 1,14 gigapascals, dando algumas restrições sérias em sua capacidade de sobrevivência ao impacto.

Assim, material ejetado da Terra atinge a Lua na faixa de sobrevivência. A notícia, porém, não é tão boa quando se trata de Fobos. Estima-se que o material de Marte impacta aquela lua a velocidades de 1 e 4,5 quilômetros por segundo. O segundo caso impossibilita a sobrevivência dos tardígrados. E, caso sobrevivessem, a forte radiação solar cósmica faria com que não durassem muito tempo.

“O fato de estruturas complexas sofrerem danos em eventos de choque não é uma surpresa. A peculiaridade aqui pode ser que a recuperação e a sobrevivência ainda são possíveis até pouco antes dos eventos de impacto começarem a quebrar os tardígrados”, escreveram os pesquisadores.

Por fim, Alejandra Traspas e Mark Burchell sugerem que pesquisas futuras observem os tardígrados continuamente. A finalidade é determinar como o disparo de uma arma afeta a sobrevivência dos resistentes seres vivos a longo prazo.

Via: Science Alert

Já assistiu aos nossos novos vídeos no YouTube? Inscreva-se no nosso canal!

- Advertisement -

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

- Advertisement -

Latest News

29 Genuinely Easy Meals That’ll Lower Your Cooking-Induced Stress Levels This Holiday Season

These easy dishes will make feeding the entire fam a breeze (so you can save your energy for...

Quiz – Estas afirmações sobre Ben Warren de Grey’s Anatomy são verdadeiras?

Ben Warren é, de longe, um dos personagens com maior evolução dentro de Grey’s Anatomy. Ele chegou para a série tendo uma profissão...

Quiz – Duvidamos que você saiba o nome dos atores de Crepúsculo!

Crepúsculo é um sucesso mundial que abriu caminho para outras produções vampirescas. A história de Bella e Edward rendeu muitos suspiros e fãs,...

67 Kitchen Products You’ll Probably Wonder How You Ever Lived Without

Cold-brew machines, champagne bottle sealers, pantry organizational sets — just a bunch of things to make your time in the kitchen a little...

32 Food & Drink Products That Make A Great Last-Minute Holiday Gift

Whether you need a gift next week, in a few days, or literally five minutes from now, these delicious gift options have your...
- Advertisement -

More Articles Like This

- Advertisement -